Schwing Stetter

40 anos

Mastro Separado para Distribuição de Concreto, conhecido como Spider traz produtividade para concretagem de grandes obras do Brasil

Enviado em: 21/03/2013 às 10:03:19

Utlizados com freqüência nos Estados Unidos onde uma concretagem pode atingir volume 10 vezes superior ao que se faz no Brasil, mastro separados da SCHWING traz economia e eficiência para obras.

Gabriel Couto ‐ KM Concreto

Nos Estados Unidos, Gabriel Couto está acostumado a realizar concretagens com este tipo de equipamento. Na opinião do empresário, além do volume, a diferença da concretagem entre um país e outro, é a própria organização do mercado. Enquanto no Brasil se negocia por volume, nos EUA, o que se conta são as horas de trabalho, condição que contribui para a produtividade na construção. Sobre os equipamentos usados, Gabriel é categórico: “As bombas são SCHWING e eu estou surpreso com a qualidade, com o funcionamento e durabilidade. Tanto que agora nós vamos comprar alguns equipamentos SCHWING nos Estados Unidos. No Brasil, não é comum a utilização de mastros separados para a distribuição de concreto como o “spider”.

O case de Alphaville

O desafio não era pouco. A obra, uma grande edificação corporativa localizada em Alphaville, Barueri (SP). Quando concluída irá compor a moderna paisagem da região com um projeto arquitetônico de vanguarda distribuído em seus 17 pavimentos, seis subsolos, térreo e mezanino.

Gustavo Silveira da Fonseca ‐ Bueno Netto

A concretagem, mais uma vez, foi considerada por todos os envolvidos na obra, uma das etapas mais delicadas da construção. Quem explica todo o processo é um jovem de 27 anos, Gustavo Silveira da Fonseca, gerente de obras da Bueno Netto Construção, responsável pela obra. “A fundação será direta com 44 sapatas. Nas duas maiores os volumes são surpreendentes: uma delas chega a 1.600 m³ e a outra 1.100 m³ de concreto. A concretagem foi programada em duas etapas, de 175 metros cada uma, com um volume 800 m³, a primeira, e mais 550 m³ na segunda. Somente essas duas sapatas representam 22% de toda a fundação. O volume total é de 5.500 m³ e de superestrutura 27 mil m³”, explica o engenheiro.

A obra deve ficar pronta em 22 meses. Segundo o gerente, o maior desafio da obra é o cronograma e a concretagem. “Para executar uma concretagem foi preciso criar uma grande logística. Nós fizemos com quatro bombas e dois caminhões descarregando ao mesmo tempo. Foram 1.300 m³ para serem concluídos em 12 horas, apesar de todas as dificuldades com o trânsito ”, completa Gustavo Silveira. O engenheiro ressaltou também que um dos motivos que levaram a opção por equipamentos SCHWING, além da confiabilidade é o fato da quebra ser muito rara.

Eficiência e inovação

O gerente de obras da Bueno Netto explicou também que utilizou o spider para diminuir o número de pessoas na operação e, com isso, economizar alguns custos “Colocamos o spider pra movimentar o mangote e diminuir o número de funcionários em cima do bloco. Foi uma alternativa para diminuir custos. Sem o spider eu precisaria de mais 20 funcionários pra arrastar tubulação, cortar e emendar tubulação”, comemora o engenheiro.

A empreiteira envolveu 105 funcionários nesta etapa da obra, entre toda a gestão de engenharia e prestação de serviço, além de funcionários na usina de concreto, operação de bomba, dosagem, controle tecnológico, colocação de gelo e todos os outros serviços. “Usamos o concreto com aditivo superplastificante e a adição de gelo para o calor de hidratação ser menor. Temos quatro pontos de descarga, um pulmão, aonde chegam os caminhões, e tenho uma freqüência que direciono para cada bomba. Cada bomba eu tenho um líder da Bueno Netto que faz todo o controle. A KM é a empresa que faz todo o bombeamento do concreto, ela fornece toda a logística e a Polimix fornece o concreto”, finaliza Gustavo.

Marilson Antônio dos Santos ‐ Operador

 

 

Mesmo sendo “novidade” no Brasil, o Spider parece não assustar os operadores experientes. “O desafio na verdade é enfrentar as dificuldades do dia‐a‐dia. Trabalho operando equipamentos há quatro anos e sempre operei equipamentos SCHWING. São muito bons, estáveis, não sofremos muito como na operação de uma bomba de arrasto. Trabalhar com lança é muito bom. E nada pode dar errado, tem que dar certo porque a responsabilidade é muito grande. Fui treinado para fazer isso e fiz um curso na SCHWING para saber como operar”, encerra Marilson Antônio dos Santos, operador dos equipamentos. O spider é desenvolvido para facilitar o trabalho manual na distribuição de concreto, cobrindo grandes áreas com dificil acesso e aplicação de bombas lança. De leve operação e alcance de 12 a 18 metros, sendo, 360º de articulação no primeiro estágio e 300º no segundo. Solução de baixo custo operacional e de manutenção, economia de tempo e praticidade na instalação.
Conheça detalhes no site: http://www.schwingstetter.com.br/?pag=produtos&sec=6

Enviado por Schwing |
© Copyright SCHWING-Stetter Brasil 2017
Rod. Fernão Dias, km 56 - Terra Preta - Mairiporã - SP - Brasil - CEP: 07600-000
Tel.: 55 11 4486-8500 | Fax.: 55 11 4486-1227 / 1344
desenvolvido por Geosfera