Schwing Stetter

40 anos

Centro Administrativo Belo Horizonte

Enviado em: 08/02/2013 às 20:02:53

Marco do desenvolvimento da Região Metropolitana

Mais do que um ousado projeto arquitetônico, a obra do Centro Administrativo do Estado de Minas Gerais é uma importante contribuição do Governo de Minas para o desenvolvimento socioeconômico da capital e Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). Cabe à Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig) a sua implantação.

A construção do Centro Administrativo se soma a diversas ações indutoras de desenvolvimento, entre as quais a Linha Verde, a revitalização do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em parceria com a Prefeitura de Belo Horizonte e Infraero, e a implantação do Aeroporto Industrial, em Confins. Esse conjunto de iniciativas ainda inclui a ampliação do Expominas Belo Horizonte. Todas essas ações têm impacto positivo direto no desenvolvimento da RMBH, criando condições para expansão de vocações econômicas e incentivando o turismo de negócios e eventos na capital.

Com a construção do Centro Administrativo, o Governo de Minas dota de moderna estrutura física a administração do Estado. É mais um passo importante para a modernização administrativa, iniciada em 2003 com o Choque de Gestão e a adoção de medidas para tornar o Estado mais eficiente. A transferência da administração pública para o Centro Administrativo permitirá a implantação definitiva do Projeto Cultural Praça da Liberdade. Os prédios históricos da praça, atualmente ocupados pela estrutura de Governo, passarão a sediar espaços culturais, salas de exposição e restaurantes, formando um verdadeiro corredor cultural.

A escolha da área do Centro Administrativo buscou privilegiar novos eixos de desenvolvimento. O local fica na divisa dos municípios de Belo Horizonte, Vespasiano e Santa Luzia, às margens da MG-010, agora um dos trechos da Linha Verde. Com área total de 804 mil metros quadrados e investimentos da ordem de R$948 milhões, o Centro Administrativo está sendo erguido na antiga sede do Hipódromo Serra Verde, que pertencia ao Jóquei Clube de Minas Gerais, localizado na região Norte de Belo Horizonte.

Complexo de prédios moderniza arquitetura de Belo Horizonte

O Centro Administrativo marcará a história arquitetônica de Minas Gerais. 0 projeto é assinado por um dos mais renomados arquitetos do mundo, Oscar Niemeyer, que deixou seu traço no conjunto arquitetônico da Pampulha, principal cartão postal da capital mineira.

O complexo do Centro Administrativo vai concentrar, no mesmo espaço, secretarias e órgãos da administração direta do Estado e parte da indireta, exceto unidades de prestação de serviços diretos à sociedade (escolas, hospitais, quartéis e delegacias de polícia, entre outras). A idéia de reunir toda a administração estadual em um único lugar surgiu da necessidade de dinamizar os processos de gestão pública.

Com o crescimento do Estado, a Praça da Liberdade, projetada para abrigar o Palácio da Liberdade e os prédios destinados às secretarias, ficou aquém das necessidades, e iniciou-se um processo de descentralização física de órgãos e entidades estaduais, que elevou os custos administrativos e logísticos, além de dificultar a prestação de serviços públicos.

Espaço de convivência

0 Centro Administrativo consiste em um complexo de edifícios. São seis edificações principais, divididas em prédios que vão abrigar a Sede do Governo, Secretarias de Estado, Centro de Convivência, auditório, prédio de serviços, além de unidades de apoio para equipamentos, praças de alimentação e restaurantes. Ao todo, serão mais de 270 mil metros quadrados de área construída.

Localizada ao sul do terreno, a Sede do Governo será composta por subsolo, pilotis, quatro pavimentos tipo, pavimento técnico, cobertura e duas torres, uma destinada ao heliponto e outra à escada principal. O prédio contará com um salão nobre, biblioteca e serviços de apoio.

Do segundo ao quarto pavimento da Sede do Governo serão instalados o Gabinete do Governador, do Vice-Governador, Secretaria de Estado de Governo e Gabinete Militar. Próximo ao Palácio do Governo, ficará o auditório central, com capacidade para acomodar 540 pessoas e modernos recursos de multimídia.

Duas torres de 15 andares e cobertura, de volumetria curva, serão construídas na porção Nordeste do terreno para abrigar as Secretarias de Estado e órgãos vinculados. Nelas, serão instaladas salas de reunião e lanchonetes. Dezesseis mil funcionários trabalharão no local, que terá um público flutuante estimado de dez mil pessoas por dia. Os estacionamentos ficarão no subsolo.

No Centro de Convivência, que será construído entre os dois prédios das Secretarias, está previsto um Posto de Atendimento Integrado ao Cidadão, lojas de conveniência, postos bancários, posto médico, agência de Correios, lanchonetes, livrarias e café. O complexo arquitetônico vai contar ainda com seis estacionamentos para 5.000 veículos, sendo que 70 vagas serão reservadas para o serviço de carga e descarga.

Revolução na administração do Estado

Um dos 50 projetos estruturadores do Governo de Estado, o Centro Administrativo sintetiza uma verdadeira revolução da administração pública estadual. O complexo possibilitará o aumento da eficiência dos serviços públicos, reduzindo procedimentos burocráticos e rotinas administrativas, que se tornarão mais ágeis, criando condições ao funcionamento pleno da máquina pública. O acesso dos cidadãos a diferentes serviços públicos e setores da administração será facilitado pela localização de secretarias e órgãos no mesmo espaço físico. Com a transferência, o Governo de Minas terá expressiva economia com aluguéis em Belo Horizonte, incluindo despesas com IPTU e taxas de condomínio.

Enviado por Schwing |
© Copyright SCHWING-Stetter Brasil 2017
Rod. Fernão Dias, km 56 - Terra Preta - Mairiporã - SP - Brasil - CEP: 07600-000
Tel.: 55 11 4486-8500 | Fax.: 55 11 4486-1227 / 1344
desenvolvido por Geosfera